terça-feira, 4 de agosto de 2015

Tarot (IV- O Imperador), imagens arquétipas, símbolos energéticos, iniciações conscienciais.


Aspirando à contemplação infusiva dos níveis mais elevados do Cosmos, mantem a tua axialidade de ligações e interage em amor e justiça com os seres do mundo
Looking to the higher and divine realms, connected to them by the axis and rod of justice, hold the world peaceful and lovely in thy hand and heart...
             O Imperador tanto contempla e segura o mundo redondo como estabelece a verticalidade direita, a axialidade e assim coalesce harmoniosamente a possível quadratura ou concretização do círculo convivial das Graças e do Divino.
       Entre nós Fernando Pessoa cantou este arcano na patriótica mas também iniciática Mensagem como a cabeça do grifo do brazão de Portugal e realçou a manifestação deste arquétipo no Infante D. Henrique: «Em seu trono entre o brilho das esferas,//Com seu manto de noite e solidão,//Tem aos pés o mar novo e as mortas eras —// O único imperador que tem, deveras,// O globo mundo em sua mão.//


O Imperador no Tarot da Mónica de Morais
O  Imperador apela a sabermos fixar as nossas potencialidades ou virtualidades, a condensá-las ou colapsá-las em actos de protecção, estabilidade, autoridade. Ou seja,  a exercermos a nossa vontade, determinação e poder, com verticalidade e correcção e ligando harmoniosamente a terra e o céu, a ética e a vivência, a horizontalidade e a verticalidade, o que apetece e o que se deve.

                         
O império da Justiça, o que ligamos e desligamos, a lei do Karma do que fazemos e não realizamos, interliga todos e, a cada momento, por maiores que sejam as opressões e sofrimentos, no nosso íntimo, somos sempre senhores de uma parte considerável das nossas forças anímicas, volições, pensamentos e sentimentos, os quais têm sempre efeitos nos seres e mundos infinitos de partículas que nos envolvem.
O Mercúrio filosófico e alado, a energia plástica psíquica, está fixado ou concentrado, e o ser domina ou sabe observar com independência e sábia orientação os estados mentais, os actos, os desejos, as palavras e, quando é necessário, gera-os e rege-os com conta, peso e medida, com gravidade, sopesando-os e insuflando-lhes energias, ao ter na sua mão esquerda e receptiva o símbolo da terra ardente, culminada pela cruz da inserção dos valores espirituais nela (conforme vemos na imagem acima do Tarot de Arthur E. Waite).  

                             

Realcemos, segundo esta imagem do mais clássico Tarot de Marselha, que tanto a espiral das ondas de pensamento e das energias cósmicas está religada e coroada ao Divino  como  o colar dos elos dos sentimentos e amizades está-lhe presente e nele o medalhão mais luminado do coração e do amor irradia...


Na dinâmica espiral do Tarot e do mês, e que vem da Trindade ou tríade inicial, estabilizamos hoje no cubo, no quadrado, no quaternário (dos quatro elementos tradicionais, ou ainda no do saber e querer, ousar e calar), que é também a pedra de fundação ou cúbica, fundamento do corpo e de qualquer construção, na qual erguemos a vontade justa ou alinhada com as quadro direcções e correntes do espaço, e os quatro elementos e logo podemos começar a sentir e a entrar mais conscientemente na quintessencia nossa, e que é o campo ou domínio anímico-espiritual.
 Quando a agitação da materia e do quotidiano é controlada e se entra na quintassencia, o ser começa a estar mias inspirado, sintonizado ou consubstanciado com a Sabedoria-Amor ou Logos que interpenetra o Cosmos e nós que deveria ser mais acolhido nas almas e reger as sociedades e os mundos. O arcano seguinte, o do Pontífice, ainda vai mais acentuar a ligação com o alto e o divino.
                            
  Na sociedade actual (e particularmente nos dias que resolver trabalhar este arcano, tais como os dias 4 de cada mês) seria bom estar crítica ou lucidamente atento ao poder (político e não só), a quem o exerce, como e com que intenções... 
Para que se  possa discernir bem os que têm a ligação maior à Verdade, à Sabedoria, ao Divino e para que os que estão mesmo exercer a vara dourada do poder e da criatividade sejam valorizados, por exemplo, até no sentido de serem participantes ou agentes do mítico Império do Espírito Santo, lídima e utopicamente o mais específico de Portugal, vindo da rainha Santa Isabel, dos franciscanos espirituais e do povo e tão desenvolvido nos últimos tempos por Agostinho da Silva, e hoje ainda cultuado de múltiplos modos no arquipélago dos Açores (com os seus Imperadores coroados ou embandeirados e cultuados com tanta fraternidade, dedicação e alegria), e também em algumas ilhas continentais ou "moreanas" (de Thomas More, do qual recentemente saíu uma bela tradução da Utopia por Aires de Nascimento e Pina Martins, autor este de uma Utopia III bem futurante) tais como Alenquer e Tomar.
                            
Cada ser está sentado na cátedra do seu conhecimento, poder e graça e deve exercê-los sábia e compassivamente e não só rochosa, seca ou inflexivelmente, como sucede a tanta gente ou grupos e partidos que se alienam, petrificam ou coisificam. 
Veja ou sinta então entre os seus conhecimentos quem mais precisa de palavra e ajuda,    e participe corajosa e abnegadamente na manifestação do Espírito do Império do Divino, o qual é tanto manifestado pelo ser imaginativo e compassivo, como pelo mais determinado e activo, duas polaridades espirálicas que se interlaçam no nosso ser e desabrocham no peito na roseacruz florida do Amor divino generoso, confiante e iluminante...

                               

   O dia em que trabalhamos mais este arcano é um momento de realizações, fundações e conclusões. O poder de conseguirmos realizar ou,  colapsar no mundo que nos rodeia o que pensamos ou decidimos, o que dialogamos ou intuímos, pode ser então mais intensificado sábia e voluntariamente, de preferência em diálogo com os outros.

Saiba então fazer circular bem as energias dos cinco elementos, ou ainda as simbolizadas nos quatro naipes que se encontram diante do primeiro aracano, o Mago ou Bagatelo e relacione-se e partilhe com justiça e coerência o Amor e  Inteligência em tudo que fizer, pensar e sentir. 
Apoie e dinamize  harmoniosamente as melhores interacções possíveis dos seres e coisas com os quais se relacionar e de modo a que comunhão no Amor-sabedoria do campo unificado de energia-cosnciência comece a acontecer mais... 

Sem comentários: