sábado, 4 de agosto de 2018

A exploração do petróleo na costa algarvia é um crime ambiental. Manifestação na Cova do Vapor. 4-8-2018

Não ao furo de exploração de petróleo no mar do Algarve, não à poluição das águas e da fauna da costa algarvia, não à venda de Portugal para uns poucos de mafiosos ganharem, não à falta de democracia e transparência nas graves decisões tomadas, que deviam ser antes discutidas e plebiscitadas
No séc. XXI, quando cada vez mais se põe em causa o petróleo e se buscam as energias alternativas não poluentes, porque será que tal ambição gananciosa anti-ambiental ainda arrasta os menos portugueses dos principais partidos e um Governo de coligação dita democrática?
O que estará por detrás desta traição ao Portugal natural e até de um turismo de qualidade?
Imagens da manifestação artística, cultural, energética e espiritual realizada entre a terra e o céu, frente ao mar, na cova do Vapor, próxima da mais conhecida Cova Piedade, dia 4-8-2018 e onde fui desafiado pelo Alfredo Cunhal, da cooperativa e herdade biológica do Freixo do Meio...
Belos momentos, que tiveram panos coloridos para ficarem desenhadas certas formas mandalicas que foram filmadas por um drone...
Boas convivências com várias almas luminosas...
Muita gente nova pura, com vontade de bem, de harmonia, de trabalhar para além dos impasses da sociedade tecnocrática capitalista consumista que vai arrasando o planeta e ainda conta com muitos vendidos para se manter na sua senda de irresponsável destruição planetária...
Um bom banho no mar, a finalizar, no meu caso o 1º, sempre o melhor...
Ranshi, um activista da regeneração dos rios e aldeias ribeirinhas da Índia, e que dirá «a Natureza é a minha mestra, é com ela que aprendo», e uma índia da tribo dos Dakota norte-americanos, foram certamente estrangeiros bem luminosos presentes, a que juntam as muitas almas jovens, ou mais amadurecidas, de Tamera ou de vários grupos e associações de defesa do Ambiente e do mar do Algarve...
Fornos solares, com bom pão a ser gerado. Porque não haverá mais, tal como para o aquecimento das águas, nas casas? Que burocracias e monopólios abafam o desabrochar de uma sociedade não poluente? 
Esperemos que esta manifestação contra o fracturamento hidráulico e o lobby das poluidoras petrolíferas e do seu dinheiro corruptor, que aconteceu hoje na bela praia da Cova do Vapor, seja criadora de  ressonâncias psicomórficas que façam com que o furo e a exploração não andem para a frente, tal como em Ferrel em 1976 a tentativa de implantação de energia nuclear claudicou pela acção de muitos de nós mais idealistas e utópicos, entre os quais se contava o Afonso Cautela, pioneiro ecológico em Portugal, recentemente partido para os mundos psico-espirituais e que já homenageei num artigo neste blogue...
Oremos à Divindade, ao Arcanjo de Portugal, aos manes, vates e mestres de Portugal e aos espíritos da Natureza para que não deixem avançar esta destruição do Portugal natural..


Um imenso coração, o que transparecia a vários níveis de gente tão luminosa...





Poemas do Médio Oriente ardente, clamando justiça, paz e amor...

Recolhendo as bandeiras da esperança do Amor Universal e não dos bolsos dos "petrolificados"
As energias solares ainda são quase extra-terrestres em Portugal....
Dilogo animados entre o Alfredo, o Ranshi e eu... "Definitivamente creio nos espíritos da natureza ou Anjos que estão dentro ou por detrás da Natureza", responder-me-á....
Belo e querido Altar ou Kamidama do Mar, da Água, dos Sentimentos luminosos: Amor!
Os laços e bandeiras da Sacralidade da Terra e do Mar, na luta não-violenta face à tecnocracia poluidora e corrupta...
Amigos, Sangas, Comunidades, peregrinos, guerreiros pela sobrevivência da Natureza e da Humanidade...
                                                   SOL DIVINO, doador da Vida e do Amor
Mesmo na areia mais seca a flor pode desabrochar. Continuemos nas nossas lutas com esperança e o céu nos cobrirá do seu orvalho, a terra nos dará seus frutos e mais almas se encontrarão...

Sem comentários: