sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Espiga Pinto, vida e obra e seu testamento espiritual...

 
Mestre Espiga Pinto (1940-2014)
e o seu testamento spiritual
Texto escrito em Dezembro de 2013
 
Partiu há poucos dias, 1 de Outubro de 2014, pelas 16:00, no Porto, para os mundos subtis e espirituais, o escultor e pintor, desenhador e e especialista de geometria sagrada Espiga Pinto. Só hoje, 3,  ouvi a mensagem no gravador do telefone, tendo já decorrido as cerimónias religiosas em Vila Viçosa onde repousam os seus restos corporais. A sua alma, essa partiu luminosamente e em paz para o Alto...
 
Manuela Morais, a sua mulher, fundadora e directora da Editora Tartaruga, e que o acompanhou incansavelmente em todas as provações cerca de quinze anos, guiou-o nos últimos dias seja estimulando-o a lutar contra a doença seja por fim a se entregar calma e confiantemente à Mãe Divina, cerrando-lhe por último os olhos amorosamente...
 
O Príncipio Feminino divino, manifestada em Maria, num dos últimos desenhos de Espiga Pinto
 
Espiga Pinto nasceu em Vila Viçosa em 1940 e cedo se notabilizou pelos seus dotes artísticos, expondo mais de oitenta vezes individualmente desde os 15 anos e estando representado em vários museus e colecções particulares. Foi um notável e muito premiado medalhista. Foi professor em Lisboa do IADE de 1979 a 1987. Conheceu Almada Negreiros e Lima de Freitas, podendo considerar-se um dos sucessores da mesma demanda da divina proporção nas obras de arte e sobre isto dialogámos algumas vezes.
 
A mulher pacificadora e frutificante, a Sulamita, segundo a geometria sagrada de Espiga Pinto...
Prova de artista dedicada com votos sinceros de Felicidade, Harmonia e Paz.

 
 Nos  últimos doze anos, Espiga Pinto além de continuar as suas obras maiores, e espera-se que brevemente seja criado o seu Museu em Vila Viçosa, na casa onde sempre habitou e à qual estava tão ligada e que alberga a sua incessante produção e  reflexão ensaística, Espiga Pinto ilustrou as múltiplas obras que a Manuela Morais foi editando na Tartaruga


Camilo Castelo Branco

O livro e o sétimo sentidos como centro do mundos....

Uma das últimas obras da Manuela Morais, colectiva, com colaboração dela, de Espiga Pinto e minha, entre muitas outras.
Vou transcrever de novo o texto sobre a oração do Espiga....
 
 
 

Pax LUX Amor

2 comentários:

António Pinto de Magalhães Alijó disse...

Tinha, e terei sempre, uma grande admiração por ele.

Pedro Teixeira da Mota. disse...

Bom, António. Um notável artista multifacetado que mereia ter sido mais apoiado e divulgado....