quinta-feira, 28 de junho de 2018

Nuvens belas de Lisboa e Porto. O rio Duro e o Palácio do Freixo. S. João de 2018.

Algumas nuvens, modeladas ou não pelos Espíritos da Natureza ou os Anjos, contempladas...
E em especial para almas amantes delas do grupo do Facebook "Nuvens e Céus de Portugal"...





Muito duradoura a forma desta nuvem mais especial... Saibamos manter a forma espiritual certa do nosso ser...

Porto, o rio e leito DeOuro, e sua humidade milenária comungando com as nuvens e céus


A Serra, e a Nossa Senhora, do Pilar, um dos pontos altos de comunicação entre os mundos e os seres


O Palácio do Freixo (árvore sagrada, como no Shinto) sonhado e realizado por Nasoni, cultuando bem e barrocamente no séc. XVIII, "As margens sacralizadas do Douro através de vários cultos" (2006)  título do último livro  Dalila Pereira da Costa, numa linha que vinha desde os tempos mais pré-históricos e que ela tão bem soube tratar e que foi a causa desta minha vinda ao norte em véspera de S. João de 2018 para dela falar...

 Janelas para o infinito, proporciona-nos o Palácio do Freixo, nas margens do Douro, rio da vida eterna, comunhão do coração, que une passado, presente e futuro na unidade do Ser divino...



As andorinhas comungam muito das vibrações das nuvens e das nossas almas, para elas quem s abe nuvens mais ou menos coloridas e musicais.. Estas já de Lisboa, da Madragoa e do Tejo e suas Tágides

 A abóbada de uma capela ou igreja representa e invoca o céu e os Anjos são as nuvens. Esta capela do palácio do Freixo, hoje bem tratada pelo grupo Pestana, está imaculada e mostrou-se muito grata pela nossa peregrinação e meditação abençoando-nos com belo estado estado interior, angélico, divino... Como se estivesse grata por alguém ir lá meditar e invocar os anjos e com  eles comungar...

Sem comentários: