domingo, 3 de abril de 2016

Jardim Botânico de Lisboa. Uma escada ou carta para o Céu...


Como as cotas da Liga dos Amigos do Jardim Botânico não estavam em dia já  há bastante tempo que não o demandava.  Hoje, finalmente, voltei a peregriná-lo e a amá-lo. 3-4-2016


Subidas fluindo com o tempo, a terra, a estação, a destinação...
Cartas de amor que chegam a alguém e ao Céu
Lírios subtis e dançantes...
O jarro que nos serve o amor da beleza divina..
O pato que nos ouve e vem visitar
Cabeças e corpos na água verde e fresca e o pão vivo que alimenta...
Uma palmeirinha Doryanthes oferecendo um cacho de flores de amor
Fios de energias subtis perpassam e tecem o jardim: A Doryanthes palmeri em floração ígnea é como um pássaro de fogo em comunhão com todo o verde e dourado que desce do céu e nos envolve no recinto fechado e aberto...
Estranhos anõezinhos, os Pneumatóforos, seres que vêm do interior da terra e aspiram ao Espírito e Ar, ao Pneuma (grego) e que fortificam assim as ligações com o Céu.
Diálogos subtis de duendes presentem-se nestes seres que aspiram à luz e das profundezas da terra emergem e se erguem...
Assinale-se um duende mais sábio...
Explosões do Graal vegetal
Da juventude como potencial imenso puro e perfumado
Maturidade, inclinado para a terra, carregado de frutos..
Ilha circular encantada e um mensageiro em pralaya...
Sakura... Flores de cerejeira no borboletário...
Borboletas brigadas da chuva, com um botão frutífero e odorifero num azul de infinito, que sempre nos cobre...
Troncos com seiva bem sanguínea...
Rugosidades, seivas, cores, seres, toques e proximidades
Visões do paraíso...
Dos bambuzeiros nipónicos
Cedros centenários dos montes sul-americanos...
Corolas abertas ao que desce do céu e sempre brancas
Escreve com o fogo da terra à Divindade, ao Anjo, ao amado ou à amada, e a mensagem levar-te-á ao Céu, e no teu coração o espírito descerá mais...

3 comentários:

Alexandra Marques disse...

Muito obrigada pelos preciosos ensinamentos!

Nora E. D'Agostino Lugones disse...

Hermosas fotos amigo, que fluya este mundo de duendes, flores exquisitas, manifestaciones!

Pedro Teixeira da Mota. disse...

Graças, estimadas amigas Alexandra e Nora. E peço desculpas de só agora ter aprendido a responder aos comentários do blogg! Boas inspirações na Natureza e no Espírito!