segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dia Nacional do Irão. 11-2. Poema de Hafiz...

11-2-2014.  Dia Nacional do Irão....
Longa, luminosa e feliz vida para ele e os seus habitantes e Tradição...

Um poema de Hafiz, de Shiraz, sobre o vinho do Amor e do Ser Divino, traduzido por mim,
com a ajuda de  amigas iranianas, em Teerão.
 Que o Amor escorra, flua, brilhe dentro de nós, e que o nosso sangue, almas e espírito consigam tingir e intensificar mais de amor e sabedoria o vasto horizonte íntimo dos seres...

"Quando, quem eu amo, ergue o cálice de vinho na mão,
Imediatamente cai por terra o bazar dos ídolos ilusórios.

Deixei-me tombar, chamando, sobre um monte de pedras,
Na esperança de vir a sentir a ajuda da sua mão.

Caí, como um peixe nas profundezas das águas,
Na esperança de que o Amigo me traria na sua rede

Quem quer que olha para os seus olhos de Luz (Yar) grita:
Eis alguém já inebriado, chamem as autoridades.

Quão feliz é aquela pessoa que, tal como Hafiz,
Mantém no coração o vinho feito antes do pacto de Adão."


Eis-nos com uma pequena comunhão do Amor infinito, primordialmente mitificado no acordo ou pacto da Divindade com o começo da Humanidade: Sejamos Amor, mantenhamos o coração bem vivo e amoroso...


Qual Jaam-e-jam....

Poesia de Hafiz

Abóbada e árvores do mausoléu de Hafiz em Shiraz

Praticando o Istixara, a leitura significativa de uma página do Diwan de Hafiz que se abre sob a invocação do seu espírito

Vista geral do jardim e do monumento a Hafiz, tão amado e cultuado

Impregnações amorosas..

No santuário de Hafiz, em Shiraz, na taça do santo Graal do vinho do Amor Divino...

Sem comentários: