domingo, 17 de agosto de 2014

Margarida Sardinha expõe na Casa da Cultura na Ericeira. A inauguração, 16/8/2014.

O belo edifício da Casa de Cultura Jaime Lobo e Silva, na aprazível e muito bem cuidada vila da Ericeira...

A chegada dos pais da artista ao aprazado e aprazível local...


Animada dos seus dotes de comunhão com o macrocomos da geometria sagrada, dotada pacientemente da lupa da ciência, da tecnologia e da ânsia da beleza, a Margarida tem vindo a percorrer as veredas da montanha cósmica primordial (Qaf), a que nos liga aos mundos superiores e à Divindade, pelas suas formas e nomes; e assim dá-nos nesta exposição um portal de simetrias animadas que partem ou chegam até ao inominado Um, a esse segredo dos segredos (sir-e-sir), ao coração do coração, seja da criação, enquanto ordem e proporção, o Cosmos, seja ao nosso centro, como espírito e fogo reflectindo o Divino. Em ambos os casos estamos na Graça (Baraka) Divina, que chega e é sentida gratamente em nós.
 

Fotografias minhas, com reflexos dos acrílicos e dos vidros, das fotografias tiradas pela Margarida em Alhambra, Granada, e tratadas magistalmente num todo muito dinâmico e harmonizante

A juventude mesmo mais jovem esteve presente....


Nada se perde, tudo se transforma... O que resultará nas alminhas

Através das proporções geométricas belas e apropriadas, procura-se fazer vibrar e harmonizar o corpo e a alma e torná-los mais receptivos e manifestadores do Espírito e dos atributos Divinos.
Neste sentido caminha a Margarida Sardinha com esta sua exposição de milhares de cristalizações e recriações reverberantes das maravilhas do palácio e jardins de Alhambra, que desde tempos tão antigos como o séc. XI até aos nossos dias tem sido uma fonte de exaltante beleza, harmonia e amor.





Poliedros transfigurantes no microcosmos e no macrocosmos...




Ao contemplarmos e sentirmos como apelos repetitivos (zikr) estas abstrações de harmonias dinâmicas ou mesmo super-tridimensionais, é certamente uma graça e um estímulo grande a reconhecermos e a sentirmos dois princípios básicos do Islão, o Tawid, a Unidade Divina e Wadat al- Wujud, interconectividade dela com tudo e todos, e por isso somos estimulados a caminhar com um olhar e sentir amoroso em que a própria visão divina e cósmica vê através de nós, ou que se espelha e ou é testemunhada em nós e à nossa volta. 


Cena do filme animado que está consatntemente a passer com poema em modo repetitovo da Margarida e que permite contemplação com sentido de profundidade reforçada graças aos óculos coloridos tridimemsionais que são disponibilizados.... 


A arte Islâmica das mesquitas e santuários, dos palácios e casas, das pinturas e dos desenhos é basicamente sagrada e sacralizadora, ou seja está baseada e convida-nos a proferir as palavras sagradas, a desabrochar os sentimentos sagrados, a meditar e a viver os atributos divinos, tendendo pois a envolver o ser humano numa dimensão bem mais vasta, na qual através do ver, sentir, recitar e meditar unimos o concreto e pessoal com o espiritual e o divinal.

Um grupo internacional de intelectuais e artistas ( a mãe da Margarida, a Maria Helena Pecante e a filha e a Tim-Tim) aprofunda reflexivamente os impulsos da arte islâmica post-modernista da Margarida




“Deus é a Luz dos céus e da terra. A Luz assemelha-se à contida num cristal de vidro  num nicho e que brilha como uma estrela brilhante.” – 24:35. Surate, A Luz, do Alcorão.






Através da arquitectura e da arte procura-se no Islão materializar o Paraíso na terra, ou seja fazer aproximar de nós o distante ou o divino, de um modo sensível e iluminador. Mas simultaneamente, num movimento simétrico, procura-se despertar o espírito que está nas nossas profundezas para que ele se erga no seu eixo e concentrando-se na mensagem profética ou no Divino Sol da Majestade e Compaixão, e se torne um sol vivo na terra, uma fonte de bençãos para todos.

Um dos trabalhos da Margarida visto com os óculos coloridos tridimensionais

A galeria Helder Alfaiate organizadora da exposição e as suas jovens colaboradoras, sob um dos quadros da Margarida, sempre feitos a partir de multiplas imagens do palácio e jardins de Alhambra



A Rita Burnay e o Rolim Carmo, jovens empreendedores da região com a sua deliciosa e já afamada  marca de cervejas Sardine, feita sem químicos e que se envia para qualquer parte do país...




O fechar da inauguração e a ida para as falésias do mar, onde se irá desenrolar a procissão de embarcações evocadora das bênçãos da Nossa Senhora da Boa Viagem


A artista caminha só já com os olhos e a alma nas criatividades das próximas exposições, mas que para já nesta "Simmetry's Portal" bem merecia ser divulgada e partilhada mundialmente, por Portugal, sobretudo em terra Islâmicas...

Sem comentários: