segunda-feira, 21 de março de 2016

Dia Mundial da Poesia abençoa Lisboa e Portugal. 21/3/2016


Dia Mundial da Poesia...As primeiras andorinhas a silvarem os ares... E um arco-íris abençoador, divino

Um poema de invocação do arco-iris que liga os céus e a terra, vibrado e penteado pelas Palavras belas e verdadeiras, sábias e harmonizadoras...


Tocar o cimo da pirâmide de tantos momentos luminosos é abençoar a ligação da terra e do céu que em Lisboa se faz, aqui e acolá, em ti e em mim, em nós...

Belas e subtis palavras,
Que cantais no meu peito,
Donde vindes tão alegres,
Tão fortes na minha alma?

Não é da terra, nem do vento
A nossa origem misteriosa.
Somos espíritos, somos divinas,
Falamos-te em ti, escuta-nos atento.

Corremos as veias,
Enchemos os ossos,
Ressoamos no cérebro,
Saboreamo-nos na boca,
Aquecemos a circulação,
Expandimo-nos pelas auras,
Somos as palavras profundas.
Aquelas que curam e iluminam.


Ouvidos abram-se,
Olhos espantem-se.
Bocas sussurrem ou cantem,
Abraçamos na comunicação,
Ouve-nos no teu coração.

Somos silêncio e gratidão,
Somos amor e aspiração.
Somos a vida imortal,
Queremos-te neste Graal...


Belas e dançarinas somos nós,
Cantamos na noite e madrugada.
Poetas e poetisas saboreiam-nos,
Pobres e inspirados amam-nos.

Ó Belas palavras, clamo-vos...
Oiçam-me, sede benignas,
Quero-vos, aqui e agora:
Palavra Divina mostra-te,
Ressoe o teu Verbo em mim...

Ó Deus, Ó Nome Santo,
Ecoa no nosso ser,
Desvenda os mistérios
E os caminhos a seguir...


Om Amen Hum,
Om Amen IHS,
Canta em mim
O ardor sagrado.

Vinde, ó belas palavras,
Palavras de Deus e dos Anjos,
Ó Música das Esferas pitagóricas
Ó Hierarquias do Céu brilhante.

Abra-se a aura da Terra,
Limpe-se a baixeza dos homens.
Vinde belas e subtis palavras,
Harmonizai as nossas almas.

Belas palavras,
Hóstias sagradas,
Em nós entradas,
Almas iluminadas.


Belas palavras nós somos,
Perante ti surgimos em dança.
Anima-te, ergue a tua alma,
Arde no fogo de ti próprio...

Abre-te à alma do Mundo,
À Sabedoria Cósmica e perene.
Comunga de nós, altas montanhas
De sábias, subtis e belas palavras.

Tece a tua alma com os nossos ritmos,
Sacraliza os teus gestos nos nossos ritos.
Sê uma fonte que jorra as da vida eterna.
Sons de harmonia emanem do teu coração.
Abençoado sejas minha irmã, meu irmão.


 Para que Portugal e os Portugueses, e os da Lusofonia, continuem a cultivar as Musas e Génios poéticos, em comunhão com a sua tão longa e rica Tradição Poética e Espiritual, onde tantos grandes seres brilham e nos podem inspirar, para que mantenhamos luminosa e irradiante a grande Alma Portuguesa (parte da Universal), que é língua e cultura de tantos povos e por todos comungada, enriquecida, metamorfoseada, para que o Bem comum da Humanidade e a Graça da Divindade e suas faces e espíritos celestiais ilumine mais a Terra e desperte melhor em todos e tudo as forças da paz, da não-violência, da justiça, da ecologia, da educação, da espiritualidade, do Amor....






Sem comentários: