sábado, 13 de fevereiro de 2016

Agostinho da Silva, 110 anos a 13/2/2016. Invocação.



Faz hoje 13 de Fevereiro de 2016 110 anos que nasceu na Terra o Agostinho da Silva, grande amigo e pedagogo dialogante e luminoso. Será homenageado na Faculdade de Letras de Lisboa num Colóquio nos dias 16 e 17, no qual participarei a 17, pelas 11:00, com uma oratio sobre "Agostinho da Silva e a Tradição Espiritual Portuguesa".



Sorrindo-lhe, relembrando-me com amor das tantas vezes que nos encontramos e dialogámos, eis três quadrazinhas muita suas para meditarmos ou decorarmos (isto é, sabermos de cor, de coração e com elas entrarmos luminosamente na outra dimensão) e, no fim, um pensamento seu sempre actual e para que aconteçam mais uniões e convergências, entre pessoas e grupos, tão necessárias à grande Alma Portuguesa...

Alma esculpes e não pedra
A cada gesto de amor
A ti próprio te fazendo
Como todo o criador.

Se não sabes o caminho
E a sorte nenhum prefere
Toma então pelo mais duro
É esse o que Deus te quere.

Naquela ilha dos Amores
Que sonhou Camões outrora
Só entra e fica liberto
Quem lá viva desde agora.

«A palavra conversa tem a mesma origem etimológica que converter, o que está implicado quando um homem conversa com outro, é uma conversão de qualquer deles ou dos dois ao mesmo tempo – é converter-se aqui, converter-se a qualquer coisa que entenda os dois como as duas partes, as metades de uma certa unidade. Quando conversamos com uma pessoa, no fim de contas queremos converter-nos ou converter a nossa dualidade numa unidade superior».

Este ensinamento, provindo de uma mestre da conversa dialogante, deve ser realmente aprofundado por nós mesmos dentro da nossa tradição espiritual, nomeadamente quanto a esta unidade superior, matriz ou campo unificado de consciência que nos espreita, sobrevoa e recompensa, caso aspiremos a ela e a mereçamos.

Ou seja, se convergirmos mesmo para a Verdade e em amor então essa Unidade superior abre-se-nos, manifesta-se.
Que Unidade é esta?
O amante torna-se o ser amado e a amada o amante.
O que procura intensamente a Verdade e a ama guinda o outro a tal vibração e então, aumentada, algo mais dela se poderá revelar.
«Quando dois ou três se reunirem em meu nome, eu estarei no meio deles», disse Jesus Cristo.
Isto é, quando duas pessoas ou três se reunirem convergindo para a a busca inteligente do que será melhor, eu revelar-me-ei na melhor solução a adoptar.
Ou seja, se vos reunirdes em meu nome ou na minha vibração de amor e verdade, então eu estarei presente, eu como a sabedoria e verdade subjacentes ao Cosmos, eu como mestre e inspirador possível dos que procuram, batem e aspiram, eu como o Espírito santo....
Unidade superior ainda a dos Anjos nossos que se encontram e dialogam...
Unidade superior de campos energéticos e psíquicos que se fundem e intensificam e fazem desabrochar mais a "Alma Mundi" ou corpo místico e amoroso da Humanidade, iluminada e intensificada com tais momentos, que irradiam beneficamente para o Cosmos...

Saibamos pois conversar convergentemente e abrindo-nos ao Espírito, santo, da Verdade e do Amor...
E para terminar com nosso Agostinho da Silva, eis uma última idéia força perene e optimista, nesta luta sem tréguas contra o Sistema mundial politico e financeiro opressivo das melhores potencialidades dos povos e pessoas:



Aos povos e pessoas da língua Portuguesa cumpriria uma missão que, embora comum a todos, entre nós alguma relevância maior poderia (ou poderá...) ter: «guiarem o mundo ao reconhecimento da sua verdadeira essência: a do espírito na matéria esplendendo»



Sem comentários: