domingo, 10 de janeiro de 2016

Bô Yin Râ. Conversas com Deus, com Jesus e com extra-terrestres!

Pintura de Bô Yin Râ, da sua belíssima obra Welten, que bem mereceria ser traduzida e publicada em português, Mundos.... 

Bô Yin Râ, o mestre pintor alemão (1876-1943), num dos seus livros publicado em 1926 e intitulado Ressurreição, o que ele considera ser a vocação espiritual de todo o ser nascido na Terra, alerta para o facto que, dada a existência de muitas entidades brincalhonas ou mesmo negativas no mundo invisível, há que ter muito cuidado com as pseudo-revelações ou diálogos com os espíritos desencarnados que as pessoas têm ou imaginam ter. E que mesmo no caso de serem autênticas essas vozes interiores, ou seja provindas de espíritos desencarnados, há que saber discernir bem de quem são.
Isto é importante de ser relembrado pois mesmo entre nós no século XXI há várias pessoas que pensam que, por exemplo o Mestre Jesus está ao seu serviço ou que, se são um pouquinho mais humildes, elas são instrumentos do mestre aptas a transmitir os seus ensinamentos, manipulando à vontade os outros... 
E há mesmo os que ouvem a voz de Deus, ou que falam com Deus, tal como por exemplo entre outros, um tal Donald Walsh, que no seu livro Conversas com Deus pretendeu fazer crer tal, conseguindo algo, dada a grande ignorância reinante, pois grandes tiragens e entrevistas obteve. E não falaremos das múltiplas canalizações de entidades extra-terrestres, tais como as de Kryon, que muitas vezes apenas revelam o interior ou quanto muito o inconsciente do canalizador, envolvendo as pessoas em egrégoras e entidades, mistificações e falsas informações das quais depois dificilmente se libertam...

Para Bô Yin Râ é muito raro um ser elevado espiritualmente, um mestre ou santo desencarnado, falar interiormente com uma pessoa, a menos que ela seja já muito evoluída espiritualmente. Assim, em geral, são entidades medianas ou mesmo negativas as que estão a tentar entrar, sugar, influenciar ou mesmo controlar uma pessoa, algo mais grave ainda quando tal pessoa já ouve as vozes exteriormente. 
O que se deve fazer então é não lhes prestar atenção, não ter medo, assumir uma vida mais activa para que tais entidades não a consigam influenciar e não se deixar seduzir por elas ou pelos seus representantes e canalizadores...
Só as pessoas que já se purificaram, harmonizaram e entraram profundamente na sua interioridade e silêncio, e que não procuram essa vozes, é que podem receber orientação do mundo espiritual nesse falar subtil no mais íntimo delas próprias, e sempre apenas para a clarificação, aperfeiçoamento e desenvolvimento espiritual dessa pessoa...
Não se deixe pois levar pelas falsas ou pseudo-revelações e ensinamentos que hoje em dia se encontram tanto à mostra e sempre com muitos tolos a seguirem tais mistagogos ou conversadoras com Jesus ou os ditos "mestres ascensos"...
A Estrela do Espírito, vinheta por Bô Yin Râ. 

4 comentários:

ANA TAVARES disse...

Muito claro e seguro. Um exemplo seguro.GrataPedro

Pedro Teixeira da Mota. disse...

Sim, é um mestre e um ensinamento com bastante força e transmissor de discernimento e segurança. Graças, Ana!

Mathesis Universalis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mathesis Universalis disse...

Aqui Bô Yin Râ vai ao encontro da doutrina de São João da Cruz e de Santa Teresa de Ávila. No caminho espiritual, todo o estado ou comunicação em que pode haver dúvida deve ser rejeitado; quando é impossível duvidar então estamos certos de estar na presença da Verdade. Também, a natureza de todo o estado ou comunicação pode ser conhecida pelos seus frutos. Não é por acaso que São Paulo, tão atento ao "discernimento dos espíritos", fala dos frutos de Espírito Santo.