quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

2016, Ano dos Anjos e Arcanjos e da sua ligação maior com a Humanidade!






Ao começar o ano de 2016, ou de cada ano, ou mesmo de cada estação, "não a nós, não a nós" mas aos Anjos e à Divindade devemos consagrar as nossas primícias... 
Entre as questões que o amor e o interesse pelos Anjos nos suscita estão as que se prendem com o seu estado normal, ou seja, quando não lhes ligamos atenção nem nada lhes pedimos. Onde se encontram, o que estão a fazer ou a ver ?
Se aceitarmos que eles estão ligados à Divindade, ou que a louvam ou amam a todo momento, então não há problemas: estão satisfeitos na comunhão-adoração-irradiação divina. E se realmente o seu protegido se abre a eles então ainda mais felizes ficam porque a energia divina pode descer através deles para as pessoas.
Uma questão conexa é a de eles poderem ou não falar com outros anjos, comunicarem telepaticamente, diremos nós para usar uma expressão aproximativa da comunicação dos conteúdos anímicos directamente. Na Biblia, uma obra a ser lida sempre com muita cautela tal a complexidade de fontes originais e os vários níveis em que poderá ser lida correctamente, fala-se de lutas entre Arcanjos ou Anjos de cada país ou povo, nomeadamente em Daniel e em S. Paulo.





Sendo seres superiores ao ser humano na sua capacidade intelectual e de conhecimento não faria sentido que estivessem isolados a sós com Deus e com os seus protegidos, tanto mais que nesta acção devem entender-se frequentemente com os Anjos da guarda de outras pessoas. E pela visão animico espiritual ao contemplarem os arquétipos divinos para a Terra ou o plano para o Sistema Solar certamente que desejam que tais visões e energias fecundem, inspirem e dinamizem tanto o Cosmos como os humanos que se abram a eles.
Talvez não seja por acaso que antigamente se recomendava começar qualquer obra com uma dedicação e invocação ao Anjo ou à fada e à musa, pois ao fazer-se tal, como quando oramos ou meditamos, nós criamos um canal ascendente por onde se eleva a nossa aspiração e pode descer a informação, a energia ou a presença que receberemos como reminiscência ou memória, como sensação ou toque, audição ou som, intuição ou ideia, visão ou símbolo, força ou apoio, guardião ou defensor, presença ou revelação.
Duas são as asas com que o Anjo nos surge habitualmente, qualquer que seja a dimensão em que o vejamos e, embora elas sejam a imagem que captamos nos planos psico-espirituais e provenham das energias de ligação com a Divindade, pela sua dualidade podemos explicá-las como uma mais passiva e outra mais activa, e assim também nós as devemos desenvolver:  a contemplativa, que adora, medita e recebe, e a activa que pensa, ama e se esforça. 

É por esta movimentação ascendente e descendente, vertical e horizontal  que nos harmonizamos ou elevamos a merecer a Graça ou Luz Divina e que é então mediatizada pelo Anjo  que se revela a nós ou que simplesmente infunde energias, compreensões, ensinamentos, impulsões....
Saibamos então meditar com o Anjo e os Arcanjos, com os antepassados e os Mestres e, nesse esforço, abrir-nos às melhores energias espirituais e bençãos Divinas...
Que 2016 seja um ano de mais Paz e Justiça, Discernimento e Verdade, e de maior reconhecimento amoroso dos Anjos e Arcanjos...

Que constantemente nos lembremos deles e assim atraiamos as suas bênçãos, em especial as curativas e pacificadoras....

Sem comentários: