sábado, 8 de agosto de 2015

Livro do Sossego Clarificante, 1

                                                     

   Ao saires da travessia dos teus sonhos, acolhendo a morte e a vida que eles te causam, reconhecendo as pessoas e línguas que nele se escreveram ou falaram, as vestes que vos cobriam, os sinais das nuvens e animais nele se metamorfoseando e a mensagem anímica que em ti quer desabrochar ou estacionar, ergue-te, dando graças à Divindade, e avança com o pé direito, calmamente, até à janela e sauda baixinho as andorinhas durante alguns momentos, abrindo alas com asas alegres para o imenso espaço éterico perene, e quanto o Sol renascer a ele também ama, e continua a abrir o teu coração, comungando dos seus raios coloridos e enviando os teus gratos e auto-conscientes.
        Assim terás purificado ou co-iluminado a rua, a gaivota solitária ou guia poderá descer até ela no voo raro e próximo, e estarás pronto para no teu santuário da casa e do coração albergares as melhores bênçãos e potencialiades para o novo dia, ao qual sorriste e sorris e que certamente fecundarás das melhores frequências vibratórias, musicais e intencionais, sossegadamente, clarificantemente...




Sem comentários: