segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Das nuvens de Lisboa e suas mensagens, 29/12/2014

Das nuvens de Lisboa e suas mensagens, 29/12/2014.
7:51. Um belo nascer do sol sobre o Tejo, as Tágides e o arvoredo frondoso e fresco
Sob as cores rosadas que banham e alimentam todos os seres, além dos pássaros a cantar há certamente humanos a medidtar, orar ou dar graças 
Nuances de cores, uns risquinhos suspeitos e as formas geométricas a projectarem-nos para dimensões sagradas...
Flui no rio, deixa o teu coração ser um com o Espírito Divino, consciencializa-te das cores da tua aura e aspirações... 
My soul sometimes becomes a fire, full of Divine Love... 
Parte, voa, sobe, ascende, arde no Amor Divino.... 
Que anjos, que musas ou fadas, espíritos ou subtilezas voam pelos céus de Lisboa nestas manhãs mais radiosas? 
Pyr, Fire, upward triangle, shakti, raise, Be... 
As chaminés que sobem e os rastos que descem, enquanto o céu está coroado de rosa lilás e penetra as nossas auras, pelo menos na unidade do observador e do observado... 
O sol quer nascer em ti, no teu coração... Sopra, acende-o, persevera, sê...
The Sun wants to become a fire shinning you, in your heart... Be... 
Das pirâmides do Egipto às ruas de Lisboa sopra a brisa matinal colorida dos desejos de um bom, sábio e justo dia para todos 
Riscos de rastos de aviões fora das rotas desencadeiam-se cada vez mais no dealbar do dia... 
Mergulhemos o olhar por entre as brumas de Avalon, que por vezes se formam por cima do aurífero Tejo ou nos jardins e matas circundantes e nos impulsionam a tecer melhor o nosso corpo subtil... 
Sobre o rio Tejo do poente para nascente, eis corridinhas de pilotos não identificados, com tubos de escape não homologados, mas como já na urbe citadina as motas roncam sem qualquer limite porque não lá em cima? 

8:10. O Sol batendo forte à porta e janelas de alguns lisboetas... Quantos o saberão acolher, intensificar o seu corpo espiritual, melhorar a sua ligação Divina?
Our beloved Sun calling specially some people... Will you open your heart to Him? 
Rastos pesados dos aviões, os Chemtrails, sobre Lisboa
Rastos de alumínio ou outras partículas deflectoras do sol e enovoadoras da atmosfera... 
Cinzenta se vai transformando a alba rosada acima dos riscos paralelos e constantes vão-se erguendo fantasmagorias... 
8:35. O Céu tornou-se um mar Cáspio ou Negro, sulcado por ondulações estranhas de rastos de nuvens que permanecem demasiado tempo... 
Vá lá que há os ventos e brisas e os seus tradicionais génios ou espíritos da Natureza para se divertirem e as dissiparem em formas e arabescos insólitos ou subtis... 
8:36. Uma das mais belas fotografias: a face escarpada que conduz ao alto, os riscos horizontais que nos podem limitar ou mesmo envenenar, uma aspiração ardente interior da verdade e de Deus que diariamente age segundo o princípio Talent de bien faire que o Infante Dom Henrique e Fernando Pessoa muito valorizaram 
Formas subtis apelam ao nosso coração espiritual...
Subtle forms ask our eye of the heart to awaken more...
Brisas, rastos químicos, ondulações enovadas, cavalgadas de espíritos... 
Aviões e riscos sucessivos vão-se repetindo paralelamente entre si fazendo lembrar corridas num mar de sargaços ou de sargaçeiros adormecidos, sem grande mira na Verdade... 
8:56 Blowing forms of clouds come out of the chemtrails...
Configurações engraçadas de rastos e nuvens acasalam-se com os telhados e os habitantes semi-conscientes de Lisboa. 
10:15 Sobre a torre-chaminé e o seu para-raio, algum espírito Egípcio ou espectral se forma e calmante olha o horizonte e convida-nos a mantermos a nossa alma sempre,  face mesmo às opressões, sintonizada com o coração ardente espiritual... 
Saibamos vogar por entre as nuvens mais densas de preocupações ou opressões e mantenhamos as clarabóias do nosso ser tanto claras e clarificadoras, tanto bóias para nós e os outros... 
Com o decorrer do tempo e a azáfama dos aviões em rotas pouco habituais iríamos pensar que se tratam de rastos de algum bombardeamento dos norte-americanos contra os terroristas que eles criaram e ainda apoiam directa ou indirectamente, mas não, devem ser apenas nuvens estranhas ou que seja, sinais nos céus.
A ave passa não sabemos se incólume a tudo ou se também, tal como os humanos, cada vez mais vítima de doenças precoces ou pouco conhecidas, que não se podem só atribuir ao stress, à vida artificial moderna, aos Mc'donalds ou ainda à famigerada Monsanto e as suas sementes geneticamente modificadas e pesticidas terríveis.
12:30, os rastos, já nuvens, formam girândolas ora coloridas até (um rosado invulgar), ora de formas sugestivas...
Demandemos a Verdade, unidos luminosamente e na fraternidade Divina...
Clarifiquemos os céus de Portugal e dos Portugueses...

II Parte. Imagens colhidas à tarde...








Sem comentários: