sábado, 15 de fevereiro de 2014

A demanda de Antero de Quental, jardim da Estrela. Vídeo.


Mestre Antero, sempre pronto a ouvir-nos ou mesmo a inspirar-nos...
                        
             Breve improviso na noite de S. Valentim de 2014 e pequena leitura de alguns pensamentos...
 Fim da bateria, interrompe...

"O ideal quer dizer isto: desprezo das vaidades, amor desinteressado da verdade; preocupação exclusiva do grande e do bom; desdém do fútil, do convencional, boa fé, desinteresse, grandeza de alma, simplicidade, nobreza, soberano bom gosto e soberaníssimo bom senso... tudo isto quer dizer esta palavra de cinco letras -- Ideal..."   Prosas, I. pág. 343.
Fotografia de um excerto de um artigo de Hernâni Cidade, com versos bem significativos da ânsia de Antero de libertar-se das formas e ascender à região do puro pensamento e da Consciência. 
Que intuíra ele desses níveis sem forma e de puro pensamento?
Mesmo nesses planos não continuarão os pensamentos a ter formas, mesmo o mais puro pensamento?
Será que a Consciência no seu plano e nível mais elevado essa sim, é sem forma alguma, havendo apenas comunicação intima num Oceano de unidade de energia-consciência?
Ou mesmo aí, há formas das individualidades ou centelhas intercomunicantes no grande Oceano de Consciência Divina?
                Desafios anterianos...

Sem comentários: