quinta-feira, 7 de novembro de 2013

POESIA. Antologia intemporal brotada da alma...

           ANTOLOGIA POÉTICA

      I - Fadas, mulheres e musas...




As fadas perpassam ainda
Pelas cidades modernas,
Invisíveis às nossas janelas,
Cumprindo as suas tarefas.

Dando cor às flores.
Harmonias aos bordados,
Espargindo pétalas leves,
Cingindo frontes suadas.

Cândidas e serenas,
Desconhecidas de muitos,
Preservando a beleza,
Inspirando a espiritualidade.

Não estranheis o seu rumor
Leve, aéreo e perfumado.
Apenas apressados, não as vemos
Mas elas estão entre nós...

Dizer que conheço uma
Seria grande ousadia,
Mas quis cumprimentá-la
E esta poesia dedicar-lhe...



A floração poética é subtil e perfumada




II
 
 
Belas e subtis palavras,
Que cantais no meu peito,
Donde vindes tão alegres,
Tão fortes na minha alma?

Não é da terra, nem do vento
A nossa origem misteriosa.
Somos espíritos, somos divinas,
Falamos em ti, escuta-nos atento.

Corremos as veias,
Enchemos os ossos,
Ressoamos no cérebro,
Saboreamo-nos na boca,
Aquecemos a circulação,
Expandimo-nos pelas auras,
Somos as palavras profundas,
Aquelas que curam e iluminam.

Ouvidos abram-se,
Olhos espantem-se,
Bocas assobiem e cantem,
Reinamos na comunicação,
Ouve-nos no teu coração.

Somos silêncio e gratidão,
Somos amor e aspiração.
Somos a vida imortal,
Queremos-te como tal...

Belas e dançarinas somos nós,
Cantamos na noite e madrugada.
Poetas e poetisas saboreiam-nos,
Pobres e inspirados amam-nos.

Ó Belas palavras, clamo-vos!
Oiçam-me, sede benignas,
Quero-vos, aqui e agora:
Palavra Divina mostra-te,
Ressoe o teu Som em mim...

Ó Deus, Ó Nome Santo,
Ecoa no meu ser,
Desvenda os mistérios
E os caminhos a seguir...

Om Amen Hum,
Om Amen Ihs,
Canta em mim,
O ardor sagrado.

Vinde, ó belas palavras,
Palavras de Deus e dos Anjos,
Ó Música das Esferas pitagóricas
Ó Hierarquias do Céu brilhante.

Abra-se a aura da Terra,
Limpe-se a baixeza dos homens.
Vinde belas e subtis palavras,
Harmonizai as nossas almas

Belas palavras,
Hóstias sagradas,
Em nós entradas,
Almas iluminadas.

Belas palavras nós somos,
Perante ti surgimos em dança.
Anima-te, ergue a tua alma,
Arde no fogo de ti próprio...

Abre-te à alma do Mundo,
À Sabedoria Cósmica e perene.
Comunga de nós, altas montanhas
De sábias, subtis e belas palavras.

Tece a tua alma com os nossos ritmos,
Sacraliza os teus gestos nos nossos ritos.
Sê uma fonte que jorra as da vida eterna
Sons de harmonia emanem do teu coração
Abençoado sejas minha irmã, meu irmão.

Sem comentários: